01 dezembro 2009

Garcia Lorca!

CACIDA DAS POMBAS ESCURAS


Pelas ramas do loureiro
vão duas pombas escuras.
Uma era o sol,
a outra a lua.
“Vizinhas”, disse-lhes,
“onde está minha sepultura?”
“Em minha cauda”, disse o sol.
“Em minha garganta”, disse a lua.
E eu que estava caminhando
com terra pela cintura
vi duas águias de neve
e uma moça despida.
Uma era a outra
e a moça era nenhuma.
“Aguiazinhas”, disse-lhes,
“onde está minha sepultura?”
“Em minha cauda”, disse o sol.
“Em minha garganta”, disse a lua.
Pelas ramas do loureiro
vi duas pombas despidas.
Uma era a outra
e as duas eram nenhuma.

3 comentários:

FILOS & FALUS disse...

Andei passando por aqui. Ora Sol ora Lua, sigo caminhando...
Beijos da amiga, Cecilia Rangel

Ines Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ines Maria disse...

!!